Um pouco do cotidiano de uma irmã de um jovem com autismo

                  

Nosso Blog

Um pouco do cotidiano de uma irmã de um jovem com autismo.

Bastidores das gravações: quebra de rotina e planejamento em Autismo

Como vocês já sabem, eu e o Mateus participamos da gravação do Programa #CompartilheRS da RBS TV, afiliada à Rede Globo aqui no Rio Grande do Sul. Porém, como tudo nas nossas vidas, teve que ser bem planejado antes!

Conversei com a jornalista, Isabel Ferrari, que nos propôs a matéria e expliquei que teria que ser em um horário que ele não estivesse na escola, pois tirá-lo da mesma não seria uma boa ideia. Quebra de rotina é muito ruim pra ele. Interromper algo que ele gosta é pior ainda! Então, combinamos que seria na parte da manhã e em um lugar que o Mateus já tem o costume de ir: um parque perto da casa dos meus pais que ele ama! Assim, seria mais provável de ele não se desorganizar, afinal era um horário livre em um local conhecido.

Combinamos às 10h da manhã. Dia lindo, sol e o céu sem nenhuma nuvem... Depois de dias chovendo, era quase um milagre! Definitivamente, tinha tudo para ser um dia azul, no melhor sentido do termo! Nossa mãe foi junto para dar um apoio moral, bem como o Mickey, que está sempre entre nós (haha!). Ela explicou tudo para o Mateus com antecedência e garantiu que assim que terminasse, ele iria para a escola normalmente e a rotina seria estabelecida outra vez. Dessa parte, quero destacar dois aspectos que considero importantes para que não haja desorganização no autista: 1) as situações devem ser explicadas de forma clara e objetiva, com uma antecedência razoável, ou seja, não muito antes a ponto de ele esquecer, não em cima da hora para que ele tenha tempo para processar; 2) é bom reforçar que a rotina voltará em breve e sempre cumprir o que se promete. Se dissermos que ele vai para a escola depois da gravação, ele tem que ir diretamente para lá, sem nenhum desvio. Assim, ele sabe que, por mais desconfortável que seja a situação, ele está seguro de que logo estará em uma posição confiável (e confortável) novamente.

Chegamos ao local combinado. No início, Mateus estranhou. Estava tenso, sem entender o porquê de irmos para o parque no meio da semana, no período da manhã e com pessoas diferentes, algo que ele nunca tinha feito antes. Dei o Mickey pra ele e o convidei para andar um pouco pelo parque. Conversamos e ele relaxou. No fim, tudo deu certo. Gravamos em vários espaços no parque e ele estava feliz e tranquilo. Confiança é o segredo para tudo isso. Muitas vezes, eles tem dificuldades com imprevistos e mudanças bruscas, nosso papel é orientá-los em todo processo e garantir que tudo ocorra da melhor forma. E só para saberem como a história terminou — além do resultado incrível da matéria! No final da gravação, Mateus já estava brincando com a câmera, encantado com a máquina profissional. Curioso e atento, encantado e encantador, mostrou a sua inocência e pureza de coração a todos. Lindo da mana. Ele arrasou na reportagem, não é gente?

 

Tags: Eu e o Mateus, Autismo